Povos indígenas e Educação no Semiárido pernambucano em tempos da pandemia do Coronavírus: desafios e perspectivas

Palavras-chave: Índios, Pernambuco, Semiárido, Educação, Coronavirus

Resumo

Diversos povos indígenas em Pernambuco habitam no Semiárido, historicamente cenário de muitos conflitos ocorrendo disputas pelos territórios onde estão as fontes de água que garantem a vida para os humanos, animais e plantas. Região caracterizada pela predominância da Caatinga, com poucas chuvas, longas estiagens e secas periódicas, mais também lugares úmidos com pequenas áreas de matas serranas densas. Esses locais, os chamados brejos de altitude e os também os brejos de pé de serras, há milênios densamente povoados, concentrando maiores índices anual de chuvas e fontes de água. Os povos indígenas vivenciaram os processos históricos as invasões da colonização portuguesa no interior da então Capitania, a partir de meados do século XVII. Todavia, apesar das muitas perseguições, violências e usurpações das terras, reafirmam as identidades, reivindicam direitos como uma educação diferenciada a partir dos interesses indígenas, a exemplo do povo Pankararu, em um cenário de políticas públicas deficitárias e com a expansão da pandemia do Coronavirus.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Silva, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), PE, Brasil

Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) | Professor Titular de História da UFPE; Centro de Educação/Colégio de Aplicação | Recife, PE, Brasil | Lattes ID: http://lattes.cnpq.br/9552532754817586

Referências

ABREU, Capistrano. Caminhos antigos e povoamento do Brasil. Belo Horizonte; Itatiaia, São Paulo: Edusp, 1988.

ANDRADE, Manuel Correia de. A terra e o homem no Nordeste. 6ª ed. Recife: Edufpe, 1998.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Nova delimitação do Semiárido brasileiro. Brasília, DF, 2005.

CCLF-Centro de Cultura Luiz Freire. O tempo e a terra: mapeando o Território Indígena Kapinawá. Olinda: CCLF, 2017.

CRUZ, José da. Experiência professor pesquisador indígena. In: OLIVEIRA, Edivania Granja da Silva; VIEIRA, Maria do Socorro Tavares Cavalcante. (Orgs.). Memórias e vivências: saberes e fazeres nas escolas indígenas Pankararu Petrolina: IF-Sertão PE, 2019. p. 28-31.

GALVÃO, Sebastião de Vasconcellos. Diccionario Chorographico, histórico e estatístico de Pernambuco. Rio de Janeiro, 1908.

HONORATO, Manoel da Costa. Dicionário topográfico, estatístico e histórico de Pernambuco. 2ª ed. Recife: Secretaria de Educação e Cultura, 1976.

MEDEIROS, Ricardo Pinto de; MUTZENBERG, Demétrio. Cartografia histórica das relocações indígenas nas ilhas do Submédio São Francisco no período pombalino (1759-1761). In: Revista Ultramares. Dossiê, nº 5, v. 1, p. 1-19, Jan-Jul./2014.

MEDEIROS, Ricardo Pinto de. O descobrimento dos outros: povos indígenas do Sertão nordestino no período colonial. Recife: UFPE, 2000. (Tese Doutorado em História).

MELLO, José A. G. de. Três roteiros de penetração no território pernambucano (1738 e 1802). In: Da Inquisição ao Império. Recife: Edufpe, 2004. p. 87-113.

NASCIMENTO, Maria Jacielma Monteiro do. Experiência dos professores indígenas e orientadores dos saberes Pankararu. In: OLIVEIRA, Edivania Granja da Silva; VIEIRA, Maria do Socorro Tavares Cavalcante. (Orgs.). Memórias e vivências: saberes e fazeres nas escolas indígenas Pankararu Petrolina: IF-Sertão PE, 2019. p.34-37.

OLIVEIRA, Edivania Granja da Silva; VIEIRA, Maria do Socorro Tavares Cavalcante. (Orgs.). Memórias e vivências: saberes e fazeres nas escolas indígenas Pankararu Petrolina: IF-Sertão PE, 2019.

PÔRTO, Kátia C.; CABRAL, Jaime J. P; TABARELLI, Marcelo. (Orgs.) Brejos de Altitudes em Pernambuco e na Paraíba: História Natural, Ecologia e conservação. Brasília: MMA, 2004.

SALDANHA, Suely Maris. Fronteiras dos sertões: conflitos e resistência indígena em Pernambuco na época de Pombal. Recife, UFPE, 2002. (Dissertação Mestrado em História).

SANTOS, Andressa Jadine dos. Narrativas indígenas Pankararu. In: OLIVEIRA, Edivania Granja da Silva; VIEIRA, Maria do Socorro Tavares Cavalcante. (Orgs.). Memórias e vivências: saberes e fazeres nas escolas indígenas Pankararu Petrolina: IF-Sertão PE, 2019. p.55-58.

SILVA, Edson; OLIVEIRA, Edivania G. S.; SANTOS JUNIOR, Carlos F. Os povos indígenas no “Sertão verde”: mobilizações, conflitos e afirmações identitárias no Semiárido pernambucano. In: O encolhimento das águas: o que se vê e o que se diz sobre crise hídrica e convivência no Semiárido. Campina Grande/PB: INSA, 2018. p. 129-149.

SILVA, Edson. Xukuru: memórias e história dos índios da Serra do Ororubá (Pesqueira/ PE), 1950-1988. 2ª. ed. Recife: EDUFPE, 2017a.

SILVA, Edson. Povos indígenas no Nordeste: mobilizações sociopolíticas, afirmações étnicas e conquistas de direitos. Crítica e Sociedade: revista de cultura política, v. 7, nº1, p. 147-172, 2017b.

SILVA, Edson. História indígena em Pernambuco: para uma compreensão das mobilizações indígenas recentes a partir de leituras de fontes documentais do Século XIX. Revista do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, v. 64, p. 73-114, 2011.

SILVA, Edson. Os povos indígenas e o Agreste: os Xukuru do Ororubá. In, GUILLEN, Isabel C. M.; GRILLO, M. Angela de F. (Orgs). Cultura, cidadania e violência: VII Encontro Estadual de História da ANPUH Pernambuco. Recife: Editora Universitária da UFPE, p.115-137, 2009.

SOBRINHO, Vasconcelos. As regiões naturais do Nordeste, o meio e a civilização. Recife: Condepe, 2005.

TEIXEIRA, Mylene Nogueira. O sertão semiárido: uma relação de sociedade e natureza numa dinâmica de organização social do espaço. Revista Sociedade e Estado, vol. 31 n. 3, p.769-797, setembro/dezembro 2016.

Publicado
2020-10-05
Como Citar
Silva, E. (2020). Povos indígenas e Educação no Semiárido pernambucano em tempos da pandemia do Coronavírus: desafios e perspectivas. Revista Brasileira Do Ensino Médio, 3, 131-142. Recuperado de https://phprbraem.com.br/ojs/index.php/RBRAEM/article/view/63
Seção
Artigos