Protagonismo juvenil no diálogo sobre água: a conferência de meio ambiente na escola

Palavras-chave: Educação Ambiental Crítica, Conferência InfantoJuvenil, Educação Ambiental Formal, Água

Resumo

O presente artigo trata de um relato da organização e realização da Segunda Conferência de Meio Ambiente do Colégio Estadual Santo Antônio (CESA), ocorrida no ano de 2018, em resposta à convocação para a V Conferência Nacional InfantoJuvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA), sob o tema Vamos Cuidar do Brasil Cuidando das Águas. A conferência infantojuvenil é uma ação estruturante para a Educação Ambiental (EA) e se caracteriza pelo envolvimento de toda comunidade escolar em debates sobre a temática socioambiental para desenvolver projetos e subsidiar ações de política públicas voltados à EA. A temática Água envolve diversos aspectos e entre eles estão os usos da água, a gestão dos recursos hídricos e a sua distribuição. A EA crítica, com seu viés mais sociológico e político, trás para as discussões os modos de produção capitalista, as desigualdades de acesso à água e a justiça socioambiental. Como a EA não se conforma em uma disciplina, a conferência é uma ação que auxilia na tomada de debates e diálogos acerca de temas socioambientais na escola utilizando diversas áreas do conhecimento nesse processo. O objetivo do trabalho é elencar os aspectos positivos e negativos de organizar e desenvolver uma conferência na escola, além de demonstrar a importância de envolver os estudantes em debates com temáticas socioambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandra Fernandes Alves de Jesus, Colégio Estadual Santo Antônio, RJ, Brasil

Mestre em Formação Científica para Professores de Biologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) | Professora da Rede Estadual de Ensino, Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC/RJ) | Duque de Caxias, RJ, Brasil | Lattes ID: http://lattes.cnpq.br/2152236325345540

Referências

ALVES, Leandra Fernandes et al. O rio Saracuruna (Duque de Caxias, RJ) como objeto de interdisciplinar na 1ª série do ensino médio. In: Encontro Regional de Ensino de Biologia, VI, ago 2012, Rio de Janeiro. Ao longo de toda vida: conhecer, inventar, compreender o mundo. Rio de Janeiro: SBEnBio, 2012.

ALVES, Leandra Fernandes. A gestão de recursos hídricos na escola: uma análise das políticas públicas. 2014. 88f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, 2014.

ALVES, Leandra Fernandes. Estudo da aplicação do google earth para alunos do 7º ano do ensino fundamental: uma proposta de integração de Ciências e Geografia. 2011. 150p. Monografia (Especialização em Ensino de Ciências) – Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia: Rio de Janeiro, 2011.

BACCI, Denise De La Corte; PATACA, Ermelinda Moutinho. Educação para a água. Estudos Avançados, v. 22, n. 63, p. 211-226, 2008.

BRASIL. Educação Ambiental: aprendizes de sustentabilidade. Ministério da Educação – Brasília: MEC, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, Cadernos SECADI 1. 2007a.

BRASIL. Formando Com-vida, Comissão de qualidade de vida e meio ambiente na escola: construindo agenda 21 na escola. 2. ed., rev. e ampl. – Ministério da Educação – Brasília: MEC, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, Coordenação Geral de Educação Ambiental. 2007b.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília: 1999.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos. Brasília: MMA, 1997.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Plano Nacional de Recursos Hídricos. Programas de desenvolvimento da gestão integrada de recursos hídricos do Brasil. Volume 1. Brasília: MMA, 2008.

BRASIL. Relatório Final: Conferência Internacional Infantojuvenil. Ministério da Educação. Ministério do Meio Ambiente. Brasília, 2010.

Carta das Responsabilidades - Vamos Cuidar do Planeta.

Carta de Responsabilidades - Vamos Cuidar do Brasil.

Carta de Responsabilidades para o Enfrentamento das Mudanças Climáticas Globais.

CNIJMA. Conferência Nacional InfantoJuvenil pelo Meio Ambiente. Página com publicações de todas as conferências realizadas.

GARCIA, Áurea da Silva. Comissões de meio ambiente e qualidade de vida na escola: os desafios da Educação Ambiental como política pública. 2010. 176f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul: Mato Grosso do Sul, 2010.

LAYRARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Mapeando as macro-tendências político-pedagógicas da Educação Ambiental contemporânea no Brasil. Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, VI, set. 2011, Ribeirão Preto. A Pesquisa em Educação Ambiental e a Pós-Graduação no Brasil. Ribeirão Preto: 2011. p. 4-12.

LEI DAS ÁGUAS: Novo Código Florestal. Direção: Andre D’Elia. Produção de Cinedelia. Brasil: O2 Play, 2016.

MARTÍNEZ ALIER, Joan. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2014.

MENEZES, Marilia Gabriela de; SANTIAGO, Maria Eliete. Contribuição do pensamento de Paulo Freire para o paradigma curricular crítico-emancipatório. Pro-Posições, v. 25, n. 3, p. 45-62, dez. 2014.

OLIVEIRA, Anselmo Batista de. Protagonismo Juvenil: o programa aprendiz Comgás no município de Campinas. 2009. 132f. Dissertação (mestrado). Pontífica Universidade Católica de Campinas: Campinas, 2009.

PÁTARO, Ricardo Fernandes; ALVES, Cirsa Doroteia. Educação em valores: a escola como espaço de formação para a cidadania na sociedade contemporânea. Encontro de Produção Científica e Tecnológica, VI, 24 a 28 de outubro de 2011, Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão/Núcleo de Pesquisa Multidisciplinar. Campo Mourão: FECILCAM/NUPEM, 2011. p. 2.

REBIO Tinguá. Reserva Biológica do Tinguá. Página oficial. Disponível em: https://www.rebiotingua.eco.br/index.php. Acesso: 19 ago 2020.

SILVA, Dweison Nunes Souza. Protagonismo juvenil na pesquisa científica: um relato de experiência com jovens do ensino médio. Revista Brasileira do Ensino Médio, v. 3, p. 1-11, 2020.

SORRENTINO, Marcos et al. Educação Ambiental como política pública. Estudo e Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 285-299, mai/ago 2005.

TRAJBER, Rachel, MENDONÇA, Patrícia Ramos. (org.) O que fazem as escolas que dizem que fazem educação ambiental? Coleção Educação para Todos. Série Avaliação nº 6. Ministério da Educação. Brasília, 2007.

TUNDISI, José Galizia. Recursos hídricos no futuro: problemas e soluções. Estudos Avançados, v. 22, n. 63, p. 7-16, 2008.

Publicado
2020-09-01
Como Citar
Jesus, L. F. A. de. (2020). Protagonismo juvenil no diálogo sobre água: a conferência de meio ambiente na escola. Revista Brasileira Do Ensino Médio, 3, 49-62. Recuperado de https://phprbraem.com.br/ojs/index.php/RBRAEM/article/view/51
Seção
Artigos - dossiê temático: ações de educação ambiental no Ensino Médio (2020)